top of page

Música e Expressão Corporal

Atualizado: 15 de jun. de 2019


Expressão e Espontaneidade

Pode-se dizer que essa foto foi feita por bailarinas numa explosão de expressão e espontaneidade individuais, expressando assim, uma forma de caos...


Como explicar o fato da foto ter ficado tão espontânea, e de certa forma, tão harmoniosa mesmo no caos?

A resposta pode ser simples...


Nossa mente aprecia a espontaneidade, pois, temos como mecanismo de defesa do ego, identificar ou deduzir o que não seja espontâneo, portanto, "território desconhecido" no campo da intencionalidade das outras pessoas em relação à nós...


No desenvolvimento do potencial humano, que tem como premissa saudável, a sua continuidade por toda a vida, prevê que a linguagem corporal seja fundamental para a relação entre pessoas, pois num mundo pós moderno, todo desenvolvimento humano é necessário, não só para as relações, mas para se enfrentar os desafios da vida.


O estímulo musical é muito apropriado, não só para as bailarinas, mas para todas as pessoas que têm a intenção de exercitar suas habilidades de comunicação corporal.


Patrícia Stokoe (1981) disse uma grande verdade quando se referiu ao fato de que os seres humanos (em sua grande maioria) não estão plenamente conscientes de seu corpo a não ser quando este os molesta. Portanto, não é uma casualidade quando adoecem de uma forma expressiva na sua corporalidade, e mais ainda, quando manifestam uma rigidez consequente a um encadear de hábitos fixados pelas convenções culturais de nosso meio.


O que se acaba de dizer não deve, entretanto, ser considerado como significando incapacidade do sentir dessas pessoas, mas é evidente que a limitação de atitudes numa manifestação corporal vai influenciar, e não se sabe o quanto, esse ancilosamento físico sobre a sua capacidade afetiva.


É preciso, pois, que o individuo consiga a integração das áreas físicas, afetivas e intelectuais para que a linguagem corporal possa se manifestar e passar a ser percebida nos seus vários níveis.


Torna-se ainda importante:


  • corporizar os elementos musicais por meio do movimento;

  • empregar a música como estímulo de criação;

  • integrar os elementos enunciados.


Resumindo, pode-se dizer que, para se galgarem os degraus de eficiência, deve-se fazê-lo de maneira progressiva, isto é, aprender a utilizar plenamente o corpo, tanto do ponto de vista motriz quanto de sua capacidade expressiva e criadora. Só assim será possível chegar-se à exteriorização de ideias e sentimentos.

36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page