top of page

Arte na Rua

Atualizado: 15 de mai. de 2019




Livio Tragtenberg*

A praça é do povo? Sim. Espaço público por excelência, a rua desempenha um papel importante na socialização e na construção das relações humanas numa cidade como São Paulo.

O músico de rua é um personagem antigo, vem desde a Idade Média na Europa, e até antes. Em vez de proibir sua atuação - o que em si é antidemocrático -, deve-se harmonizar os interesses, fluxos e desejos envolvidos. Esse seria o papel de uma Prefeitura com P maiúsculo - em vez de curvar-se ao poder econômico e míope, proibindo que se exerça um direito desses cidadãos.

Diferente do camelô, o músico de rua trabalha para humanizar o dia a dia dessa tão sofrida população. São Paulo anda para trás, tratando essa questão de forma policialesca. Deveria ouvi-los e apoiá-los, incorporando essa atividade ao ecossistema urbano. Existem programas de ocupação sonora e musical do espaço urbano que deram ótimos resultados em Berlim e Barcelona.

Seu prefeito, músico de rua é coisa de primeiro mundo!

* COMPOSITOR E CRIADOR DAS ORQUESTRAS DE MÚSICOS DAS RUAS DE SÃO PAULO, BERLIM, MIAMI E RIO

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page